vestibular
HISTÓRIA

                       A origem, a fundação e a vida inicial da Escola de Engenharia Kennedy

                                                                             (Breve relato de dados fundamentais)

               A Escola de Engenharia Kennedy, Ex-Escola Superior de Agrimensura de Belo Horizonte, segunda Escola de Engenharia de Belo Horizonte,  foi fundada aos sete (7) dias do mês de março de 1964, numa época em que a Escola Americana exercia uma forte influência na engenharia brasileira. Nasceu com influência técnica, organizacional, como se manifesta em seu primeiro Currículo Escolar na formação dos professores convidados naquela época para assumirem a docência das diferentes disciplinas do seu curso com ênfase em Transportes e no próprio nome que recebeu. O seu nome constituiu numa homenagem ao grande Presidente Americano John Kennedy. É preciso dizer que o nome da Escola de Engenharia Kennedy se deu a uma conversa entre os Professores José Joaquim Francisco de Paula, Thales Lobato dos Santos, Daltro Barbosa Leite, João Evangelista Alves de Paula e Mário de Oliveira que sugeriram ao Prof. Benedito José de Souza a convocação da Congregação da Escola Superior de Agrimensura para a mudança e criação de seu nome para Escola de Engenharia Kennedy, em 07 de março de 1964. A primeira Diretoria da Escola de Engenharia Kennedy ficou assim constituída: Diretor: Prof. João Evangelista Alves de Paula; Diretor Técnico: Prof. Ildeu Cypreste; Diretor Secretário: Prof. Emanuel Sampaio; Diretor Tesoureiro: Prof. Joaquim Augusto Araújo. Posteriormente com os pedidos de afastamento dos professores Ildeu Cypreste  e Emanuel Sampaio ficaram como Diretores, Vice-Diretor, o Professor Paulo do Valle Leão e como Diretor Secretário, o Professor Laércio Theodoro de Andrade. Como Órgão Assessor da Diretoria havia o Conselho Técnico Administrativo (C.T.A.) cuja, primeira composição foi: Prof. Mário de Oliveira; Prof. José Nardelli Bemfica; Prof. Daltro Barbosa Leite; Prof. Paulo do Valle Leão e Prof. Jean Pierre Gaston Rochebois. Cabe destacar o vigoroso trabalho do Assessor da Diretoria, Especialista Temporário Dr. Nazareno Alphonsus de Guimarães, Ex-Secretário da E.E.UFMG que coordenou a elaboração do 1º Regimento da Escola que foi aprovado na reunião da Congregação no dia 08 de dezembro de 1964, tendo prolongado o mandato da Diretoria até o dia 15 de março de 1965. Este Regimento foi página por página registrado no Cartório Jero Oliva. A Escola de Engenharia Kennedy, quando da criação, possuía o Curso Superior de Agrimensura e de Engenharia Civil com ênfase em Transportes. No ano seguinte a sua criação optou somente pelo Curso de Engenharia Civil, com ênfase em Transportes, tendo a turma de Engenharia de Agrimensura optado pelo Curso de Engenharia Civil.

A Escola teve início de suas atividades do Ensino na área de Engenharia Civil em 1964, nas instalações do antigo Quartel do C.P.O.R. de Belo Horizonte, na Rua Juiz de Fora, por especial autorização do saudoso General Carlos Luiz Guedes, que também era Engenheiro Civil, formado pela Escola de Engenharia da U.F.M.G., ficando célebre o seu pensamento: “A Escola é um Templo de amor à Pátria assim como o Exército Nacional.” Através da Lei nº 5458, de 10/06/1970 recebeu como doação pelo governo de Minas uma área de 22.200m2, na Gameleira e através da Lei nº 1940, de 16/02/1971 recebeu a cessão de uso da área do seu atual Campus de 56.180m2. Funcionou no Quartel do C.P.O.R. de Belo Horizonte, na Rua Juiz de Fora, pelo período de cerca de um (1) ano e dois (2) meses, vindo depois, na sequência, para salas de aulas do Colégio Santo Agostinho (cerca de quatro meses), para as instalações da Faculdade de Letras e Filosofia sob a direção do Prof. Mário de Oliveira, que também era professor da Escola, na Av. Antônio Carlos e, posteriormente, para as instalações da Escola de Nutricionistas, na Av. Amazonas, onde permaneceu por vários anos até 1975 quando mudou para sua sede atual na Rua José Dias Vieira, nº 46, bairro Rio Branco, Venda Nova. As providências para a construção de sua majestosa sede e do seu campo esportivo, já sob a dinâmica administração do saudoso Ex-Diretor Geral Prof. Mário Werneck de Alencar Lima, iniciou-se em 1973 e o prédio foi inaugurado solenemente em 03/03/1975. A Escola de Engenharia Kennedy teve um inestimável apoio da Diretoria da Sociedade Mineira de Engenheiros, presidida pelo Engº Vicente Assumpção tendo colocado à disposição da Escola os seus salões para a realização das reuniões da Congregação e para outras atividades do ensino. Não se pode olvidar, também, o inestimável apoio dos seguintes militares que desempenharam funções de comando no C.P.O.R. de Belo Horizonte, bem como na Guarnição do Exército na nossa Capital: - Ex-coronel Adauto Bezerra de Araújo, promovido posteriormente a general; -  Ex-coronel Hélio Fonseca Vianna; - Ex-coronel Eurico Seixo de Brito e promovido posteriormente a general; - Ex-major Célio Faleiros, promovido posteriormente a Coronel. Estes militares deram integral apoio a nossa primeira Diretoria, jamais intervindo em qualquer ato administrativo da Escola que funcionou com integral liberdade dentro daquele Quartel no período mais agitado e grave da Revolução de 1964, fato inédito. O então Comandante da ID-4 , na época, Ex-coronel Dióscono Gonçalves do Valle, promovido posteriormente a general prestigiou e apoiou muito a Diretoria da Escola.

A Escola de Engenharia Kennedy pelo correr dos seus 49 anos de gloriosa e laboriosa existência já formou cerca de 15.000 engenheiros civis, sendo ao longo desse tempo incorporado mudanças na área de ensino de engenharia civil, enfatizando não só as novas técnicas e tecnologia da construção civil como também a logística e os transportes. Neste nobre desiderato vem capacitando para o exigente mercado de trabalho profissionais altamente qualificados para a engenharia civil, enganjados no desenvolvimento nacional, na técnica, na tecnologia e na defesa do meio ambiente. No correr de seus 49 anos de existência recebeu várias honrarias e homenagens pelo seu gigantesco trabalho em prol da Engenharia Civil, podendo-se destacar o número significativo de seus egressos que trabalharam e trabalham no D.E.R./MG., em diversos Órgãos de Transportes do País e em diversas empresas do setor da construção civil, da logística e dos transportes no nosso Estado, no País e no Exterior. Hoje, pode se dizer que a escola é vitoriosa nos seus objetivos e “venceu o bom combate”. A sua trajetória brilhante na formação de profissionais altamente qualificados é fruto, pelo correr dos tempos, dum árduo trabalho coletivo dos seus alunos, ex-alunos, funcionários, professores e diretores que sempre se uniram num mesmo objetivo: pugnar pelo engrandecimento da Escola.

Desde o ano de 2005 a Fundação Educacional Minas Gerais, mantenedora da Escola de Engenharia Kennedy, firmou uma feliz parceria com a Associação Educativa do Brasil – SOEBRAS, tendo essa parceria dado um vigoroso alento e ampliado todas as atividades de ensino no campus, destacando-se, recentemente, entre várias, os Cursos de Engenharia de Minas e Engenharia de Produção e, outros, vindo a prestar inestimáveis serviços à sociedade e à comunidade de Belo Horizonte. É preciso destacar que essa parceria,aprovada pelo Ministério Público Federal, teve uma decisiva participação e decisão final da Diretoria da SOEBRAS, representada, na época, pelo Professor Ruy Adriano Borges Muniz, Diretor de Operações da SOEBRAS.  Pela Fundação Educacional Minas Gerais foi aprovado à unanimidade dos seus Conselhos, sendo representado o Conselho Curador pelo seu Ilustre Presidente na época o Prof. Lúcio Flávio Cardoso Orsini. O Ilustre Prof. Ruy Adriano Borges Muniz, atual Prefeito de Montes Claros, grande idealista com o seu dinamismo e o seu largo espírito empreendedor na área de ensino foi o grande sustentáculo e a viga mestra para a realização e efetivação da parceria que vem prestando relevantes serviços ao desenvolvimento do ensino superior em Minas Gerais.

A Escola de Engenharia Kennedy teve até o presente dez (10) Diretores Gerais, a saber, na sequência dos mandatos:

. João Evangelista Alves de Paula;

. José Geraldo de Faria;

. Adolfo Ribeiro Montes;

. José Lamartine de Godoy;

. Mário Werneck de Alencar Lima;

. Gerson Cunha;

. Joaquim Augusto Araújo;

. Lúcio Flávio Cardoso  Orsini;

. Pedro Américo Almeida Magalhães

. João Evangelista Alves de Paula – atual Diretor Geral